vaporizador como funciona

Vaporizador: o que é e como funciona?

Aparelho usado para produzir uma nuvem de gotículas ao invés de um fluxo líquido, o mais comum dos vaporizadores é composto de dois tubos dispostos em ângulo reto. O tubo vertical mergulha no líquido a ser vaporizado, e o horizontal dirige um sopro de ar para a parte superior do vertical.

No vaporizador simples este sopro ocorre quando se comprime um bulbo de borracha. Em primeiro lugar, o fluxo de ar dirigido baixa a pressão na extremidade superior do tubo vertical, provocando a sucção do líquido. Em seguida, transforma o líquido em gotículas, levando-as consigo. As pistolas de pintura e os carburadores de automóveis funcionam valendo-se desse mesmo princípio.

Recorte técnico de uma lata de spray
Na lata de aerosol “spray”, ao comprimir-se a válvula a pressão do gás força o líquido a subir pelo tubo até o bico de saída, produzindo uma névoa fina.

Na década de 50, entretanto, surgiram no mercado as latas de aerosol spray, uma espécie de vaporizador mais cômodo. Elas são feitas de folha de flandres com as juntas soldadas, embora os produtos embalados sob alta pressão tenham, usualmente, recipientes moldados em folha de alumínio.

A parte superior da lata contém uma simples válvula de plástico que controla o fluxo da vaporização. Logo abaixo dela, um tubo flexível mergulha até o fundo do recipiente. A lata é cheia com o produto a ser vaporizado e com o seu propulsor, um gás comprimido (como o butano ou o freon). Devido à pressão interna, o gás é parcialmente liquefeito, mas mantém sempre uma parte livre sobre o produto líquido. À medida que a lata se esvazia, o gás liquefeito evapora e vai completando o novo espaço aberto, mantendo a pressão.

A válvula mantém-se fechada pela pressão interna da lata e por uma mola espiral colocada diretamente abaixo de sua haste. Quando comprimida, a haste desce em seu receptáculo até atingir um pequeno orifício que a liga ao bico de saída. Este movimento provoca a expulsão do produto pelo interior do tubo imerso, mediante a impulsão forçada pela pressão do gás. Misturado ao produto, o propulsor provoca um fluxo de névoa fina: ambos deixam juntos o bico de saída, mas o gás evapora-se imediatamente. Dependendo do propulsor, pode-se obter também um jato contínuo de líquido.

Diagrama de um vaporizador manual comum.
O vaporizador mais comum funciona quando o ar impelido pelo bulbo de borracha provoca queda de pressão no tubo vertical, fazendo o líquido subir por ele.

Usado com líquido mais viscoso e bico de válvula mais largo o sistema pode produzir espuma. Líquidos muito viscosos são acondicionados numa bolsa plástica para que não fiquem aderidos na superfície interna da lata. As embalagens desse tipo podem funcionar de cabeça para baixo, embora devam ser normalmente usadas de cabeça para cima, a fim de que a extremidade inferior do tubo permaneça imersa no produto. Na carga da embalagem mais comum, o propulsor é inserido através da válvula de controle. O modelo de bolsa plástica, porém, usa uma válvula extra de recarga.

Classifique este post!
[Total: 0 Average: 0]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *