Óleo sintético ou óleo mineral: qual devo usar no meu carro?

Óleo sintético ou óleo mineral: o petróleo é a alma do motor do seu carro. Além de ser responsável (quase sempre) pela combustão, ale mantém todas as suas partes movendo-se suavemente, absorve o excesso de calor e contém aditivos que ajudam a limpar substâncias químicas nocivas e prejudiciais.

Depois de trabalhar por milhares de quilômetros mantendo o motor funcionando corretamente (evitando, inclusive, o motor fundido), o óleo do seu carro se degrada e precisa ser trocado. É um dos itens de manutenção mais importantes que seu veículo deve receber. Ao custo de um tanque de gasolina ou dois, também é um dos investimentos mais baratos que você pode fazer para melhorar a saúde e o desempenho a longo prazo de seu veículo.

Quando chega a hora de trocar o óleo, você pode se deparar com a decisão entre óleo de motor convencional e óleo de motor sintético, o que pode gerar dúvidas.

Óleo sintético ou óleo mineral: qual opção é melhor?

Embora haja ainda muita discussão sobre o assunto no mundo dos carros tunados e modificados, por exemplo, sobre qual tipo de óleo é melhor, mas os carros originais a resposta costuma ser mais fácil de ser encontrada.

Enquanto veículos modificados podem requerer óleos ou combinações especiais devido às mudanças mecânicas realizadas na transformação, os carros originais de fábrica costumam seguir a mesma recomendação de óleo do manual durante toda a sua vida útil, exceto quando haja algum recall ou atualização do modelo.

Leia abaixo para entender a diferença e decidir o que é certo para seu carro.

Qual é a diferença entre óleo mineral e óleo sintético?

Vamos começar com algumas noções básicas.

O óleo mineral, ou convencional, é destilado e refinado a partir do petróleo bruto, um combustível fóssil líquido que ocorre naturalmente. O óleo sintético, por outro lado, é criado artificialmente, molécula a molécula, a partir de compostos químicos com o objetivo de imitar as melhores propriedades do óleo natural e adequar-se às demandas específicas dos motores dos veículos modernos.

Embora a diferença no processo de fabricação seja motivo de entusiasmo para os geeks de carros, a maioria dos motoristas só se preocupa com a diferença que isso traz ao veículo. Acontece que essas diferenças podem ser significativas.

Óleos sintéticos geralmente protegem melhor o seu veículo do que os óleos convencionais, têm algumas vantagens de desempenho, especialmente em temperaturas extremas, e duram mais. Dito isto, eles também custam mais.

Limpeza e proteção contra desgaste das peças internas

O óleo se degrada à medida que se move pelo motor de seu veículo, deixando depósitos prejudiciais e, com o tempo, pode formar uma espécie de limo, o que diminui o desempenho e a vida útil do seu motor. O óleo sintético tem menos impurezas e é mais resistente à formação dessa substância, de modo que seu motor permanece mais limpo, opera com mais eficiência e dura mais tempo do que com o óleo convencional.

A principal função do óleo é lubrificar as peças do motor, que se movem em alta velocidade e estão em contato direto umas com as outras. Os óleos sintéticos não se decompõem tão facilmente quanto os óleos convencionais, protegendo, assim, os componentes do motor contra o atrito, o desgaste e, por fim, contra a quebra por mais tempo.

Qual é o melhor óleo automotivo para temperaturas extremas?

Como o óleo sintético foi meticulosamente e matematicamente projetado para essa finalidade, ele geralmente apresenta um desempenho melhor do que o óleo convencional em temperaturas extremas, mantendo o seu carro funcionando com mais facilidade na maioria das condições.

Os motores geram calor em todas as condições devido ao seu funcionamento, portanto, ambientes de alta temperatura podem causar a ineficiência dos óleos tradicionais ainda mais rapidamente. Os óleos sintéticos resistem melhor ao calor, desgastando-se mais devagar, ideal para motores que precisam estar sempre em altas temperaturas.

Em temperaturas frias, os óleos convencionais podem se tornar espessos e levar mais tempo para aquecer até a viscosidade ideal, de modo que eles podem não fornecer a lubrificação adequada ao acionar o motor. Os óleos sintéticos são projetados para fluir suavemente em seu motor, mesmo em baixas temperaturas, para que seu motor tenha maior probabilidade de receber a proteção adequada assim que você ligar o carro.

Quando é preciso trocar o óleo do carro?

quando preciso trocar o oleo

Óleos convencionais se desgastam mais rapidamente, então devem ser substituídos com mais freqüência do que óleos sintéticos. Se o seu carro usa óleo convencional, a maioria dos mecânicos recomenda uma troca de óleo a cada 5.000 Km. Por outro lado, se você usar óleo sintético, provavelmente deverá trocá-lo a cada 7.500 ou 10.000 Km, embora alguns óleos sintéticos possam durar mais.

Diferença de custo entre óleo sintético e o mineral

O valor da mão de obra não varia para o uso do óleo sintético ou mineral. Dito isso,  o custo do óleo sintético pode chegar a ser de 2 a 3 vezes maior quando comparado com o óleo mineral. No entanto, você também obtém de 2 a 3 vezes a vida útil entre as trocas. Por isso, é importante levar em conta essa longevidade ao comparar o custo.

Como você pode ver, o óleo convencional custa menos por troca, mas como você está fazendo a troca do seu óleo com mais frequência, o custo anual total se estabiliza a longo prazo quando comparado aos óleos sintéticos.

Recomendações do fabricante

Antes de escolher o tipo de óleo a usar, verifique o manual do proprietário para ver o que o fabricante recomenda ou até mesmo requer. Se você dirige um veículo de alto desempenho ou uma marca européia, como Audi, BMW ou Mercedes, provavelmente precisará usar óleo sintético.

Se o fabricante exigir óleo sintético, sua decisão foi essencialmente feita para você. Se você não cumprir os requisitos do fabricante, correrá o risco de perder a cobertura da garantia em caso de falha mecânica, mesmo que o óleo que você usa não esteja diretamente relacionado ao problema.

Óleos semi-sintéticos

Ao selecionar um óleo de motor, você tem uma terceira opção: misturas entre óleos sintéticos e óleos convencionais. Essas misturas não podem ser feitas por você, elas já vêm prontas das fabricantes de óleo e têm um desempenho melhor do que os óleos puramente minerais a um preço mais baixo do que os sintéticos.

No entanto, os óleos semi-sintéticos não são tão duradouros quanto os produtos sintéticos puros, por isso, se você estiver abandonando o óleo mineral, provavelmente será melhor optar pelo óleo puramente sintético.

Óleo sintético ou mineral: qual leva a melhor?

No geral, o sintético vale o investimento? Dado o seu desempenho aprimorado e vida mais longa, os benefícios do óleo sintético podem de fato compensar o custo adicional, mas a decisão se resume aos requisitos do fabricante, quanto você dirige e quão diligente você é em relação à troca de óleo.

Em primeiro lugar, se o manual do seu proprietário indicar que o veículo requer sintético completo, siga essas instruções. Você aproveitará a longevidade e o desempenho, e garantirá que seu veículo fique dentro dos requisitos de garantia.

Se você tem uma escolha entre convencional e sintético, pense na quilometragem anual que você dirige e como você é bom em mudar o seu óleo na programação. Se você está constantemente adiando essa troca de óleo e indo além do intervalo recomendado, o óleo sintético é provavelmente sua melhor aposta, porque você tem mais tempo entre as mudanças. Você gastará menos tempo no posto de serviços e receberá alguns benefícios de desempenho ao longo do caminho.

No entanto, se você quiser trocar o seu óleo respeitando o tempo recomendado e as recomendações do fabricante, o óleo convencional funcionará bem. Cada alteração será um pouco mais leve em sua carteira e é improvável que você perceba uma diferença de desempenho na sua condução do dia-a-dia.

E você, qual tipo de óleo costuma utilizar em seu carro? Conte pra gente nos comentários!

Enciclopédia Virtual

A Enciclopédia Virtual é um espaço de conhecimento e consulta. Assuntos e temas que você provavelmente não encontra em outros lugaras. Pouco a pouco, tudo aqui.

3 comentários em “Óleo sintético ou óleo mineral: qual devo usar no meu carro?

  • Pingback: Manutenção de carro: como encontrar um mecânico de confiança

  • Pingback: Vibração no volante: identifique as causas e evite problemas

  • Pingback: Manutenção de ar-condicionado automotivo: ar não está gelando o carro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *